A Regra do Glitter


Não há regras.

Com base nessa premissa, deixo claro aqui que apenas me dou a absoluta liberdade de expressão pois me vejo em posição de criar amor, carinho, compaixão e fraternidade.

Me vejo em posição de, através do meu silêncio, não alimentar conflitos, pois são apenas tropeços de expressão.

Dito isso, escolho que a liberdade de expressar qualquer coisa que seja, por mais absurda que pareça, seja respeitada. Se necessário, debaterei com alegria e com o único intuito de esclarecimento e crescimento de todas as pessoas envolvidas, quando essas se mostrarem dispostas.

Somos pessoas tão diferentes, com tantas vidas tão diferentes, mas somos todos iguais quando queremos amor.

 

 


2 comentários


  • José Carlos Gonçalves da Silva

    Como já disseram: Todo tipo de amor vale a pena ,se a alma não é pequena.
    A vida e uma só. Uma viagem no tempo, aproveitem esta vida, sem se preocupar com lágrimas no caminho, pois é pra isso que elas existem, para regar a alegria de viver.
    Não briguem comigo, tentei escrever algo , que veio na mente ao ver uma live.

    Com a Fada, as filhas, e meu cachorro.
    Pego a Kombi e subo o morro,
    Só pra ver…
    Quem quiser seguir nosso caminho
    É só ter no coração muito carinho
    E juntos vamos ver o sol nascer.

    Quando passamos por uma cachoeira
    Lembro , que não precisamos de coleira
    E águas correndo pelas pedras, entre a mata.
    Fascina-me a cascata…
    Desfaço-me das roupas, natureza morta…
    Para sentir o que me importa,
    As vidas, que lá existem a minha volta.
    Meu corpo respira o ar puro, cada poro recebe com gratidão…
    O ar fresco e puro da vegetação.
    Saímos dali renovado, até o cachorro balança o rabo…
    Porque nele também bate um coração.
    Com a Fada, as filhas, e meu cachorro.
    Pego a Kombi e subo o morro,
    Só pra ver…
    Quem quiser seguir nosso caminho
    É só ter no coração muito carinho
    E juntos vamos ver o sol nascer.

    Quando passamos por uma cachoeira
    Lembro , que não precisamos de coleira
    E águas correndo pelas pedras, entre a mata.
    Fascina-me a cascata…
    Desfaço-me das roupas, natureza morta…
    Para sentir o que me importa,
    As vidas, que lá existem a minha volta.
    Meu corpo respira o ar puro, cada poro recebe com gratidão…
    O ar fresco e puro da vegetação.
    Saímos dali renovado, até o cachorro balança o rabo…
    Porque nele também bate um coração.


  • Ezequiel Barbosa

    Uns tem mais não podem , outros podem mas não tem, nos q temos e podemos so nos resta agradecer .


Deixe um comentário