Quanto custa ter uma opinião?


"Ensina tua língua a dizer eu não sei e você fará progresso."
Moses ben Maimon (1135-1204) 

Eu tenho, prontamente, uma opinião sobre quase tudo, mas quantas vezes faço o trabalho necessário para ter essa opinião?

O trabalho é a parte difícil, o custo é alto e é por isso que posso querer evitá-lo:
- Eu preciso fazer as leituras;
- Eu preciso falar com qualquer um competente e ouvir seus argumentos;
- Eu preciso pensar quais as variáveis chave e como elas interagem;
- Eu preciso ouvir e perseguir argumentos que vão contra meus juízos de valor;
- Eu preciso pensar em como posso estar me enganando;
- Eu preciso ver a questão por múltiplos pontos de vista;
Eu preciso me tornar meu crítico mais inteligente e ter a honestidade intelectual para matar minhas ideias mais queridas.

"Estamos todos aprendendo, modificando ou destruindo ideias o tempo todo.
A rápida destruição das suas ideias quando o tempo chega é uma das maiores qualidades que alguém pode ter.
Você precisa se forçar a considerar os argumentos do outro lado."
- Charlie Munger

O custo de uma opinião é o de poder argumentar contra eu mesmo melhor do que os outros fariam. Essa é a hora em que posso dizer: "Olha, eu posso manter esse ponto de vista porque ainda não encontrei alguém que possa argumentar melhor que eu contra ele."

Grandes pensadores, como Charles Darwin, pagaram esse custo para manter uma opinião. Fazer esse trabalho é um contra ataque ao meu desejo natural de procurar apenas por informações que confirmem o que acredito.

Quando Darwin encontrou opiniões ou fatos que foram contrários às suas idéias, ele procurou não somente ouvir mas também não descansou enquanto não pôde argumentar melhor que seus opositores ou entender onde os fatos eram concretos. Ele pagou o preço. Não foi fácil, mas esse é o ponto.

 

A diferença entre pessoas que pagam o preço e as pessoas que regurgitam opiniões decoradas é imensa. As pessoas que fazem o trabalho simplesmente sabem responder a próxima pergunta. Os outros são apenas copiadores. Eles não conseguem aplicar a opinião na prática se houver qualquer variante nos fatos.

Eu sou um copiador em muitos aspectos da vida. Por isso penso ser tão importante entender meu círculo de competência. Isso é crítico para mim, que desejo uma vida racional.

Pagar o preço significa que não posso abraçar qualquer ideia com certeza imediatamente.

Fazer o trabalho me força à desafiar minhas crenças porque preciso argumentar por todos os lados. E aí me torno, de alguma forma, um juiz imparcial - e o réu é minha própria opinião.

Eu desejo entender o mundo e remar a favor da maré e é uma alavanca crucial colocar esforço em distinguir pessoas que pagam o preço e aqueles que não. Como sou vulnerável ao ambiente ao meu redor, é importante me cercar de pessoas com opiniões sólidas.

Aí, como diria o senhor oriental, é que eu nunca devo me meter na vida dos outros, porque é simplesmente impossível argumentar sobre a vida de outra pessoa melhor do que ela.

 

 


Deixe um comentário