Remando a favor da maré


"O que o aluno precisa aprender, se aprender alguma coisa, é que o mundo fará a maior parte do trabalho para ele, desde que ele coopere em identificar como ele realmente funciona e alinhe-se com essa realidade. Se não deixarmos o mundo nos ensinar, ele nos ensina uma lição."
- Joseph Tussaman

A primeira coisa que as pessoas fazem é me dizer o que elas pensam. Quando alguém tem opinião sobre tudo, sempre quer dividir comigo. E eles ainda adicionam pesquisas e dados imaginários como se tivessem uma lista de fatos que eles precisam mostrar para se colocar como especialistas na área que não sabem nada a respeito. Porque eles tem opinião sobre tudo, eles são rápidos em julgar os outros - por sua falta de opinião, por sua falta de conhecimento, por sua falta de coragem... e a lista vai.

Eu acredito que se pode aprender com qualquer pessoa. Às vezes é um esforço que consome bastante tempo. Pessoas que tem opinião sobre tudo são tão barulhentas que é difícil encontrar um sinal. Meu cérebro tem que fazer esforço extra pra descobrir se eles pagaram o preço para ter aquela opinião ou se estão simplesmente regurgitando o jornal ou a timeline da rede social. Depois de um tempo, essas pessoas terminam em uma prisão mental própria - e querem me levar junto com elas.

O problema vem de como eu vejo o mundo. Minhas opiniões tendem a se basear em como eu acho que o mundo deveria funcionar, de acordo com minha moral, meus valores e meus princípios. Se eu vejo o mundo através da lente da opinião, muito do que acontece é diferente do que eu gostaria. Isso é o feedback, e como eu respondo a esse feedback é a chave!

O mundo nunca diz que estou errado: ele me dá resultados.

Quando um resultado vem diferente do que eu queria, as coisas fica difíceis. Eu posso escolher ignorar o resultado e continuar pensando que estou certo. Isso protege meu ego. Também carrega o risco de continuar a acreditar em algo que não é verdade. Alternativamente, eu posso calibrar minha "acreditabilidade" naquele assunto reduzindo na minha cabeça as chances de estar certo. 

Por exemplo: se eu me dava 85 pontos de 100 na habilidade de ter uma opinião firme em um assunto e o mundo me provou o contrário, eu posso baixar meus pontos para 75. Se o mundo continuar me dando resultados contrários, eventualmente eu pego a dica e mudo minhas crenças. Finalmente, eu posso deixar minha opinião de lado e responder ao mundo como ele é. 

Essa opção é a mais difícil.

Se eu não consigo mudar de opinião, nunca vou pra frente. Pior, eu costumava me ver como um herói. E herói mesmo, do tipo dos filmes. Eu mantinha opiniões que o mundo me mostrava que estavam erradas de novo e de novo. E eu paguei caro por isso.

Eu perdi trabalhos, eu perdi colegas, eu perdi amigos. Minhas fortes opiniões passaram a significar que ninguém me queria por perto. Eu fui prisioneiro das minhas crenças e eu queria que o mundo visse que eu estava certo. Por fim, tudo o que eu conseguia era me cercar de pessoas com a mesma visão incorreta do mundo.

Por fim, eu demoli meu ego à socos. Hoje, quando estou certo, estou certo pelas razões certas. Eu tomo um curso de ação e o resultado vem exatamente como eu quero - desde que eu esteja dentro do meu círculo de competência.

Se parece muito trabalho, então eu só digo: "Eu não tenho uma opinião sobre isso. Me diga você, como chegou a conclusão da sua? Parece que posso aprender algo."

 


4 comentários


  • REGINALDO RegiGV

    Bom dia!
    De fato já dei muito murro em ponta de faca! Aprendi que baseado nos acontecimentos, minhas opiniões nem sempre eram o caminho certo para resultados que eu buscava. Daí quando abri mais o leque de visão, conseguia chegar as respostas que tanto buscava e muitas vezes ter que baixar minha cabeça e ver um erro simples que estava me frustrando!
    Hoje ainda erro, mas tudo bem volto e revejo meus conceitos sem medo que tinha antes!


  • REGINALDO RegiGV

    Bom dia!
    De fato já dei muito murro em ponta de faca! Aprendi que baseado nos acontecimentos, minhas opiniões nem sempre eram o caminho certo para resultados que eu buscava. Daí quando abri mais o leque de visão, conseguia chegar as respostas que tanto buscava e muitas vezes ter que baixar minha cabeça e ver um erro simples que estava me frustrando!
    Hoje ainda erro, mas tudo bem volto e revejo meus conceitos sem medo que tinha antes!


  • Paula Coração Valente

    Deixa eu dar minha OPINIÃO sobre isso…brincadeira…gistei muito do texto!


  • Maria Claudia

    Pretendo continuar no clube de amigos


Deixe um comentário